5cc9f0a676b62

    Corinthians mostra que controlar o jogo é bom, mas finalizar é necessário

    Se no último jogo diante da Chapecoense, pela Copa do Brasil, o Corinthians fez sua melhor partida no ano, o duelo desta quarta-feira ficou longe de ser exemplo. Isso porque, mesmo com a vitória por 1 a 0, a primeira no Brasileirão, a atuação do time foi bem abaixo e problemas já conhecidos durante a temporada voltaram a aparecer na Arena.

    A equipe de Fábio Carille teve o controle da partida durante quase todo o primeiro tempo, embora a Chape tenha chegando com algum perigo uma vez outra. O esquema com Ralf e Ramiro como volantes e os três meias Pedrinho, Sornoza e Clayson, porém, tinha pouca agressividade e Boselli invariavelmente voltava para buscar a bola quase no campo de defesa. 

    Assim como em outras oportunidades em 2019, a dificuldade para criar jogadas e a tendência para um jogo morno tomaram conta da etapa inicial. Tanto é que o Timão finalizou apenas três vezes nos primeiros 45 minutos, nenhuma acertou o alvo. Estava claro que havia a necessidade de mudança, não só de peças, mas também de postura.

    Foi aí que, mais uma vez neste ano, a entrada de Vagner Love deu outra cara para atuação corintiana. Ramiro, que não estava bem na partida saiu, Ralf foi fixado como primeiro volante, assim como os três meias que agora trabalhavam para dois atacantes: Boselli e Love. A postura, pelo menos nos primeiros 15 minutos da etapa final, mudou.

    Esse tempo foi suficiente para o time chutar mais a gol e tentar sufocar a defesa da Chapecoense. A estratégia funcionou. Um chute de fora da área de Clayson desviou na zaga e sobrou para Carlos Augusto completar para o gol. Em seguida pareceu que o placar aberto traria uma vantagem mais elástica. Foram nove finalizações no segundo tempo, seis a mais do que na etapa anterior. No entanto, o ritmo do jogo caiu de novo pelo lado alvinegro.

    Quando deixa de focar no ataque ou não consegue criatividade suficiente para ser mais ofensivo e marcar presença na frente, automaticamente o adversário é ‘chamado’ para o jogo, algo que, atualmente, é um risco para os corintianos, que ainda não viu sua defesa totalmente acertada, sem contar o desfalque de Henrique, titular da zaga. E a Chape procurou empatar, mas parou em Cássio.

    A partida terminou com vitória do Corinthians e os primeiros três pontos na competição, após derrota na primeira rodada. Ainda que o resultado tenha sido prioridade, fica a impressão de que há a necessidade de transformar o controle e o caráter morno em mais agressividade e jogadas de ataque. É certo que desfalques como Junior Urso e Gustagol fazem a diferença, mas a competição por pontos corridos exige uma postura mais constante, com menos oscilações, algo que o Timão ainda está devendo desde os primeiros duelos de 2019.

    Veja Também

    Notícias do Corinthians
    be3b0b544433b768685e3436621590ff