#FenômenodaFiel – Da Ucrânia, Dentinho relembra a parceria com Ronaldo



    Daniel Augusto Jr/ Agência Corinthians

    Se você abrir um site de buscas na internet e digitar “Ronaldo e Dentinho”, o que mais vai achar são fotos da dupla brincando e sorrindo. Ronaldo estreou no Corinthians dois anos antes de encerrar sua carreira. Dentinho havia sido promovido da base, nem dois anos antes da chegada do Fenômeno.  Assim como foi ídolo de muitos meninos, Ronaldo era também de Dentinho. A afinidade surgiu fora de campo e se tornaram grandes amigos.  Com a camisa do Corinthians, desenvolveram uma parceria de sucesso no ataque e conquistaram o Campeonato Paulista e a Copa do Brasil, em 2009. Da Ucrânia, onde defende o Shakhtar Donetsk, Dentinho falou sobre a relação com o amigo e
    ex-companheiro de Corinthians.

    Como foi a primeira vez que conversou com ele?
    Dentinho: Lembro que a primeira vez que encontrei o Ronaldo, eu fiquei muito nervoso. O seu maior ídolo jogando ao seu lado e no time do seu coração? Não é sempre que acontece. Sou uma pessoa muito privilegiada. Eu me lembro que foi até difícil dormir na noite anterior. Encontrei com ele na entrada da academia, no CT. Tenho até uma foto desse momento. Ele me abraçou e me deu muita força.
    Vocês viraram grandes
    amigos. Como foi surgindo esta amizade?

    Dentinho: A amizade aconteceu e cresceu da forma mais natural possível. Ele sempre foi muito legal comigo e brincávamos a todo momento. Na concentração então, era demais. Foi um momento que vou levar sempre pra minha vida. Ele e um ídolo mundial, né? Eu tirava mais onda com ele do que ele comigo
    Você lembra de alguma
    dica que ele te deu dentro de campo?

    Dentinho: Ele sempre me deu muitas dicas sobre como me posicionar, como bater na bola e aproveitar os espaços. Vários ensinamentos deles eu carrego até hoje.

    Daniel Augusto Jr/ Agência Corinthians

    Qual o jogo
    inesquecível que fizeram juntos?

    Dentinho: Um dos jogos mais importantes que eu lembro foi o primeiro gol dele contra o Palmeiras. Quando acabou o jogo, eu fiquei muito emocionado mesmo. Ele chegou pra mim e disse: “Filhote, vem aqui”. E me deu a camisa dele. Isso foi uma coisa que me emocionou muito e vou guardar para sempre. Ela está em um quadro na minha casa. “Houve vários outros jogos também, mas esse me marcou mais”.
    Era mais gratificante
    dar assistência ao Ronaldo ou fazer gol?

    Dentinho: A importância do gol e da assistência era a mesma. É claro que é sempre importante você, como atacante, marcar sempre, mas a assistência era para o Ronaldo, né?  Fico muito feliz com o sucesso desta nossa dupla.

    Veja Também

    Notícias do Corinthians