Nome milionário do PSG fala sobre o Corinthians e revela: ‘Acompanho sempre’

    O zagueiro Marquinhos é uma das grandes promessas do Corinthians que deu certo. Cria do “Terrão”, o jogador que hoje é titular no time do Paris Saint-Germain ressaltou a importância do time alvinegro em sua vida. Mesmo tendo deixado o time paulista para ir à Roma por quase um décimo do valor que foi vendido ao time de Paris, Marquinhos afirma que não guarda rancor do Timão.

    “Quem me garante que se eu tivesse ficado lá (Corinthians) eu seria o Marquinhos de hoje? Os caras me formaram, deram casa, carinho e amor para mim”, disse em entrevista ao canal Desimpedidos, do YouTube. “Vivi dez anos ali. O Corinthians me fez como pessoa, homem e jogador. Fiz minha formação de vida ali e devo muito ao Corinthians, torço e acompanho sempre”, acrescentou, reforçando que ainda torce para o time paulista.

    Saiba mais

    Vinicius Jr vale meio São Paulo?

    PSG renova com Marquinhos até 2022

    Palmeirenses mandam recados a Ibra

    Integrante do elenco campeão brasileiro de 2011 e vencedor da Libertadores em 2012, Marquinhos foi vendido à equipe da Roma por uma quantia de 3,5 milhões de euros (aproximadamente 13 milhões de reais). Sem espaço no Timão, o zagueiro se destacou entre os italianos e ganhou vitrine na Europa. Ao final da temporada de 2013, o jogador foi comprado pelo PSG por uma quantia de 33 milhões de euros (aproximadamente 124 milhões de reais).

    O jovem jogador também afirma que sua passagem pelo “Terrão” moldou parte do homem que o zagueiro é hoje. “São coisas que você passa na sua vida que só depois que você dá valor. Quando você está num Parque dos Príncipes da vida, você pensa: ‘Passei por ali, vivi aquilo’ (…) Ali era terra, pedra, areia, você chutava o chão e a chuteira abria na hora. Tinha que passar cola”, lembrou.

    Frequentemente convocado para a Seleção Brasileira, Marquinhos chegou a ser considerado um dos grandes zagueiros em atuação na Europa. Visado, o atleta recebeu propostas de grandes times como Barcelona e Manchester United, que estavam dispostos a mexer em seus cofres para ficar com o defensor. Já o PSG afirmou que não irá liberar o jogador tão cedo.

    Veja Também