Sem muita vontade, Corinthians perde para o Botafogo e segue em 19º

    Uma semana depois de ser campeão da Copa Libertadores pela primeira vez na história, o Corinthians sofreu sua quinta derrota no Campeonato Brasileiro. O vilão na noite desta quarta-feira foi o Botafogo, que deixou o Pacaembu com 3 a 1. Paulo André (contra) e Elkeson (duas vezes) marcaram os gols dos cariocas na partida adiada e válida pela sétima rodada. Chicão diminuiu no fim, de pênalti.

    O resultado mantém a equipe paulista na zona de rebaixamento da competição – agora na vice-lanterna, atrás também do Palmeiras por ter piorado o saldo de gols –, com apenas cinco pontos ganhos em oito partidas disputadas. O próximo compromisso será no sábado, contra o Náutico, de novo em casa. Já o time carioca, que faz clássico com o Fluminense no domingo, pula para 15 pontos e assume a quarta colocação, na região de classificação para a próxima edição da Libertadores.

    Essa foi a terceira vez em que Tite escalou o que tinha de melhor à disposição na competição – usou os titulares nos empates com Atlético-MG e Figueirense, na segunda e terceira rodadas respectivamente –, porém a primeira em que o time não dividia atenções na temporada.

    Nesta noite, as baixas eram Emerson e Jorge Henrique, entregues ao departamento médico. Liedson seria uma das opções, mas por já ter feito seis jogos (número limite para poder disputar a competição por outro clube), a comissão técnica não o relacionou, a fim de que ele defina sua renovação de contrato (o atual vence no fim do mês).

    Antes do apito inicial, os jogadores que deram ao Corinthians o título paulista de 1977, encerrando jejum de quase 23 anos sem conquistas, subiram ao gramado para saudar a torcida e dar a faixa de campeão ao elenco atual, vencedor da Libertadores. Estiveram presentes grandes ídolos, como Basílio, Wladimir, Tobias, Geraldão e Zé Eduardo.

    Devidamente homenageados, os 11 corintianos que tinham a missão de tentar tirar o time da zona de rebaixamento se viram acuados pelo adversário. A defesa da equipe da casa trocava passes e se via em dificuldade para sair de trás. Aos oito, Cidinho recebeu passe na entrada da pequena área e chutou rasteiro, à direita da trave.

    O Corinthians respondeu quatro minutos mais tarde, em cabeceio de Romarinho que saiu à direita da meta de Jefferson. Mas o goleiro do Botafogo ainda demoraria para trabalhar de fato. Antes disso, foram seus companheiros que deram trabalho para o rival. Depois de uma série de escanteios, a equipe carioca assustou Cássio também em falta de longa distância cobrada por Elkeson.

    A insistência ofensiva do Botafogo deu resultado aos 27 minutos. Um dos jogadores mais agudos da formação comandada pelo técnico Oswaldo de Oliveira, Andrezinho arrancou em velocidade pela ponta direita e cruzou rasteiro buscando algum companheiro dentro da área. O zagueiro Paulo André tentou fazer o corte e acabou empurrando a bola para a rede, pois Cássio já havia deixado a meta na direção oposta.

    Imediatamente após a abertura do placar, a torcida corintiana reagiu e passou a gritar. O time entendeu o recado e partiu para o campo de ataque. Aos 39 minutos, Fábio Santos cruzou pelo chão e viu Romarinho desviar. Jefferson espalmou, mas a bola ficou viva. Paulinho chegava de trás para completar, contudo Márcio Azevedo se antecipou e evitou o gol de empate.

    Em cima, o Corinthians teve outra grande chance cinco minutos depois, quando tinha dois jogadores a mais em virtude de dois botafoguenses estarem fora de campo para atendimento médico. Romarinho carimbou o travessão e a bola sobrou para Elton empurrar a rede. O árbitro, entretanto, anulou o gol por conta de domínio com a mão do centroavante antes do arremate.

    A volta para o segundo tempo prometia um Corinthians ofensivo, só que foi o Botafogo quem dominou as ações. Logo aos 11 minutos, Lucas correu pela lateral direita e cruzou rasteiro em direção à área. Cássio se agachou para fazer a defesa sem contar que Elkeson se adiantasse a ele para tocar para a rede e ampliar a vantagem dos visitantes.

    De novo, os torcedores tentaram animar os atletas gritando “É campeão”. O canto não surtiu efeito. Aos 23 minutos, Elkeson recebeu no meio da área, dominou e chutou devagar no canto esquerdo de Cássio. O goleiro até pulou para tentar a defesa, mas não impediu o terceiro tento botafoguense. Nos minutos finais, o Corinthians teve pênalti a favor e diminuiu a diferença com gol de Chicão. Mesmo sabendo que não venceria mais, o público de 25.900 pagantes no Pacaembu comemorou e voltou a festejar o recente título da Libertadores.

    Reportagem: Gazeta Esportiva

    Veja Também

    Notícias do Corinthians
    Notícias do Corinthians