Tite

    Tite encontra Dunga, Gilmar e Del Nero, mas evita falar sobre Seleção

    O técnico da seleção brasileira, Dunga, esteve reunido nesta segunda-feira, na sede da CBF, com alguns dos principais treinadores do país – entre eles, aquele que representa a maior ameaça a sua permanência no cargo: Tite, comandante do Corinthians, que rejeitou ao menos quatro contatos da cúpula do órgão para sondá-lo para treinar a Seleção. Enquanto Dunga não concedeu entrevistas, o técnico da equipe paulista se esquivou das perguntas sobre o papo com o treinador da seleção, com o coordenador Gilmar Rinaldi e também com o presidente da entidade, Marco Polo del Nero. Tite chegou a ser sondado por intermediários da CBF para o cargo de Dunga, e disse “não”.

    – Não, não. Passou já. Passou. Estamos falando sobre o futebol em macro – afirmou o treinador ao ser questionado pela primeira vez.

    Com a insistência na pergunta, Tite se limitou a dizer:

    – A continuidade serve em todos os níveis: serve para clube e serve para Seleção – disse, antes de deixar o saguão de forma apressada.

    Tite, que sonhava com o cargo em 2014, não topou conversar com os emissários. Os dois primeiros contatos aconteceram no ano passado, conforme revela uma biografia do treinador corintiano – de autoria da jornalista Camila Mattoso. Outros dois ocorreram no mês passado – informação divulgada pelo blog Bastidores FC, do GloboEsporte.com.

    Dunga sofre forte contestação depois do fracasso na Copa América do ano passado e da largada ruim nas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018 – o Brasil está em sexto, fora da zona de classificação para o Mundial. O trabalho do treinador será novamente avaliado na Copa América deste ano, nos Estados Unidos, que pode respingar em sua permanência para os Jogos Olímpicos do Rio.

    Tite era resistente a assumir a Seleção, entre outros motivos, por estar imerso no Corinthians – primeiro na campanha do título brasileiro do ano passado, depois na tentativa frustrada de reconquistar a Libertadores. Eliminado pelo Nacional, do Uruguai, nas oitavas de final do torneio continental, ele teria o caminho mais livre para trocar de posto – algo que inclusive deixa a direção corintiana alerta.

    A seu favor, pesa o currículo. Ele tem todos os principais títulos possíveis de conquista no país: Brasileiro (Corinthians), Copa do Brasil (Grêmio), Sul-Americana (Inter), Libertadores (Corinthians), Mundial (Corinthians) e Recopa (Corinthians). Por isso, costuma ser o nome mais lembrado para comandar a equipe nacional.

    Veja Também

    Comments (4)

    1. Avatar
      Allan DeLon

      Vilão do paulistao

    2. Avatar
      Allan DeLon

      Vai com td seu fracasso

    3. Avatar
      Paulo Macedo Loro

      Tabom pode ir já deu esse papo tbm encheu o saco ja

    4. Avatar
      Paulo Macedo Loro

      Tabom pode ir já deu esse papo tbm encheu o saco ja

    Comments are closed.