Tite mira recuperar liderança e ignora invencibilidade do Palmeiras

    O Corinthians tem uma dupla missão neste domingo, a partir das 16h, no Pacaembu. A primeira, roubar a liderança do Campeonato Paulista do Palmeiras. A segunda, acabar com a invencibilidade de 21 partidas do arquirrival. Tite acredita que o primeiro lugar na classificação tem mais valor e deixa o sabor de ser o primeiro a bater o Verdão na temporada para o torcedor.

    O Palmeiras lidera o estadual com 32 pontos, um a mais que o Timão, terceiro. Restam apenas cinco rodadas para o fim da primeira fase. A briga pela ponta também tem outros dois grandes do estado. O São Paulo aparece em segundo por ter melhor saldo que os corintianos, enquanto o Santos é o quarto, com 27.

    “Nós sabemos que no final você tem alguma vantagem. São cinco jogos e vai diminuindo a pontuação. Está 32 a 27. São cinco pontos de diferença entre os quatro primeiros. É uma margem pequena. Vamos procurar uma boa pontuação porque chegar em primeiro é importante”, afirmou.

    Quem terminar na liderança não terá vantagem de jogar o “mata-mata” pelo empate. O único benefício, a partir das semifinais, será de fazer o segundo jogo em casa. As quartas de final serão disputadas em partida única, no estádio dos quatro primeiros colocados. Oito avançam no total.

    No ano passado, o Corinthians terminou a primeira fase em terceiro e venceu o Oeste por 2 a 1 nas quartas. Já nas semifinais, pegou o Palmeiras (segundo) e avançou nos pênaltis. Na decisão, o Santos (classificado em quarto) superou o Timão em pontos pela vitória na semi e ganhou o direito de decidir na Vila Belmiro: empate sem gols no Pacaembu e triunfo do Peixe por 2 a 1, no litoral.

    Enquanto o “mata-mata” não chega, o Corinthians quer também acabar com a invencibilidade do Palmeiras. O Verdão não perde há 21 jogos – desde 6 de novembro, quando foi batido por 2 a 0 pelo Coritiba, pelo Brasileirão. Tite, porém, deixa essa meta um pouco de lado.

    “Para o torcedor, isso é inevitável. Tenho de compreender. Que isso seja para nos motivar? Não. Se o Palmeiras ganhar vai ter gozação do torcedor também. O cara vai namorar melhor depois do clássico (risos). Para mim, não. Meu sentimento é de estar sempre crescendo em cima de grandes jogos”, disse.

    Reportagem: Globo Esporte

    Veja Também

    Notícias do Corinthians
    Notícias do Corinthians